Fora da Escola: histórias de aprendizagem de inglês em ambientes informais

2018 - atual

O desejo de aprender inglês é algo recorrente em histórias de aprendizagem de estudantes brasileiros (GOMES JUNIOR, 2016; PAIVA; GOMES JUNIOR, 2015, 2018; PAIVA, 2008, 2011). No entanto, ao narrarem suas trajetórias, os aprendizes muitas vezes enfatizam o fracasso da aprendizagem, associando-o a elementos do cenário educacional brasileiro, como a falta de infraestrutura, a baixa proficiência dos professores, o número de estudantes em sala, dentre outros. Nessas histórias, os narradores muitas vezes relatam terem percebido momentos mais efetivos de aprendizagem em eventos informais, como viagens, jogos e literatura, por exemplo. Dessa maneira, esta pesquisa busca analisar histórias de aprendizagem de inglês em ambientes informais com o objetivo de investigar: (a) quais são esses ambientes; (b) quais agentes tiveram papel importante nesse processo; (c) quais foram as tecnologias (digitais) e artefatos mediadores; (d) quais estratégias de aprendizagem foram utilizadas; (e) como os aprendizes conceptualizam a aprendizagem informal e seus elementos. Vale ressaltar que o intuito desse estudo não é o de reforçar crenças e preconceitos atribuídos à escola regular no Brasil, mas o de destacar características da aprendizagem informal que possam existir também em espaços formais, atendendo, assim, à vontade de aprender de nossos estudantes. Para isso, será gerado um conjunto de histórias orais de aprendizagem de indivíduos de diversas faixas etárias e contextos com o auxílio do aplicativo WhatsApp. A escolha do aplicativo se justifica pelo seu uso massivo no Brasil, o que facilitará a geração de dados, haja vista que o processo de gravação de mensagens de áudio já faz parte da rotina dos usuários dessa tecnologia. Os participantes da pesquisa receberão um pequeno roteiro e serão instruídos a gravar suas histórias orais, refletindo sobre eventos, agentes e objetos que marcaram seus processos de aprendizagem fora da escola. A análise dos dados será orientada pela Perspectiva Ecológica da Aprendizagem de Línguas (VAN LIER, 2004), para entender a (inter)relação dos participantes em/com seus ambientes; e pela Teoria Cognitiva da Metáfora (LAKOFF; JOHNSON, 1980), para compreender as conceptualizações dos aprendizes. Ao final da pesquisa o conjunto de histórias de aprendizagem, bem como os resultados da pesquisa serão disponibilizados em uma página da internet. É esperado que os resultados da pesquisa possam iluminar o ensino e aprendizagem formais de inglês como língua adicional.

©2020 by Ronaldo Gomes Jr.

Logo_UFMG.png
logo_fale_ufmg.png